É mais um projeto dos "criativos" investigadores da Google e foi designado Deep Dream. A tecnologia de visualização que foi desenvolvida destinava-se a entender melhor o processo de classificação das redes neuronais, mas pelo caminho os engenheiros da empresa tropeçaram em resultados curiosos e com um perfil artistico surpreendente. 

Ao analisar cada camada de uma imagem, e o seu ruído, o software gera novas imagens e distorções que estão a fascinar os internautas.

O tema gerou tanto interesse que a Google decidiu publicar o código no GitHub, convidando todos os curiosos einvestigadores a publicar as imagens com a hashtag #deepdream.

E agora há uma evolução das imagens estáticas para o vídeo. E naturalmente já há experiências aplicadas a vários filmes, que são tão surpreendentes como assustadores.

O vídeo que reproduzimos aqui é uma "interpretação" do 2001: Odisseia no Espaço, escrito por Stanley Kubrick e Arthur C. Clarke e produzido por Stanley Kubrick. Este não traz muitas distorções, mas se gostar há mais experiências semelhantes na Internet.

 

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.