A Hisense foi criada em 1969 e nos últimos 10 anos tem vindo a desenvolver uma estratégia de internacionalização que passa também pelo alargamento do negócio através de aquisições. A unidade de TV da Toshiba é a mais recente aquisição mas num encontro com jornalistas portugueses e espanhóis, Lan Lin, vice-presidente executivo da Hisense sublinhava uma visão que aponta para o objetivode alcançar as primeiras posições das áreas de eletrónica de consumo no mercado internacional.

Os números da empresa sustentam a ambição. A Hisense é número 1 na China há 14 anos consecutivos em vendas de TV e em 2016 a área de TVs foi a terceira em vendas no mundo, segundo dados da IHS partilhados pela empresa. Mas para chegar aos lugares cimeiros a Hisense tem pela frente alguns gigantes, sobretudo a Samsung e a LG, da vizinha Coreia.

Atualmente a Hisense já vende quase metade dos seus produtos da área de eletrónica de consumo e TV fora da China, porém quer continuar a alargar a estratégia de internacionalização, e a Europa é um dos destinos privilegiados, a par da América do Norte. Os novos produtos lançados este mês da CES e o investimento realizado na Europa, onde é um dos patrocinadores do Mundial de Futebol que se realiza este ano na Rússia, fazem parte de uma rota estratégica desenhada pela administração da Hisense.

“Há 10 anos ninguém sabia quem eramos, e investimos muito na marca e na qualidade. Agora estamos nos principais países a lidar com as marcas de topo”, explicou Lan Lin, vice-presidente exceutivo num encontro com jornalistas portugueses e espanhóis em Qingdao.

Uma visita organizada à empresa incluiu a passagem por um centro de inovação e várias fábricas de produção de frigoríficos, máquinas de lavar roupa e televisores na província de Shandong, onde a empresa possui 15 fábricas. Em conjunto com  as fábricas da América do Sul a empresa tem uma capacidade de produção anual de 12,3 milhões de televisores, 10 milhões de unidades de frigoríficos, 9,3 milhões de aparelhos de ar condicionado e 6,6 milhões de telemóveis.

Embora a visita ao centro de inovação não fosse muito impressionante, provavelmente porque as principais novidades ficaram longe dos olhos dos jornalistas, o acesso aos espaços das fábricas, quer de fabrico que aos complexos que incluem espaços de lazer e formação para os empregados, mostram que a marca não brinca com a segurança, controle de qualidade e logística.
No total, a Hisense tem 18 filiais em todo o mundo, conta com cerca de 75 mil colaboradores e o negócio mundial vale mais de 14 mil milhões de dólares. As fábricas estão localizadas apenas na China e na América do Sul, enquanto as restantes localizações são focadas na área comercial, marketing e estratégia.

No mercado europeu a Hisense já tem alguns anos e a empresa assegura presença direta na Alemanha, que é o headquarters da Europa, Itália, Espanha e França. Em Portugal o negócio era gerido a partir de Espanha mas desde este ano tem um responsável local pela marca, Nuno Cunha, que continua a reportar à Hisense, e que tem uma visão otimista para 2018.
“A aceitação dos nossos produtos tem sido bastante positiva e a procura acima do que tínhamos previstos. O balanço que fazemos de 2017 é muito positivo e temos as melhores perspetivas para este novo ano, que será marcado pela chegada de produtos de excelência ao nosso mercado”, adiantou ao SAPO TEK.

Linha de produtos em expansão
Os smartphones são uma das mais recentes linhas de produtos onde a Hisense está a investir, e que se juntam aos televisores, mas também aos frigoríficos, máquinas de lavar e ar condicionado, a par de um conjunto alargado de soluções B2B mais viradas para a gestão de smart cities e equipamentos na área da saúde.

As Laser TV despertaram a atenção do mercado e a Hisense acredita que nos próximos três anos este segmento será um dos que apresenta maior crescimento na gama de ecrãs de grande dimensão. A gama de Laser TV da Hisense conta já com uma oferta alargada, capaz de atingir as 100 com qualidade 1080p ou 4K com os Ultra HD Smart Laser TV, mas posicionando-se também numa gama mais baixa com os projetores de 88 e 80 polegadas. Os primeiros modelos vão chegar ao mercado português em abril, como confirmou Nuno Cunha, o responsável pelo mercado nacional ao SAPO TEK.

Ao mesmo tempo a Hisense continua a investir em tecnologia ULED, e lançou na CES 2018 as  Hisense U7 ULED TV, mas também a Hisense U9 ULED TV, duas edições especiais para o Mundial de Futebol. E através da parceria com a FIFA vai oferecer conteúdo exclusivo aos seus clientes.

Diferente do LED e do QLED da Samsung, a tecnologia ULED combina materiais óticos como KSF ou Quantum Dot com a tecnologia de controlo de backlight Special Hisense, o que resulta de um leque de cores e um contraste mais intenso. Numa comparação direta com um televisor LED ou OLED, as cores são vivas e expressivas, sem sobressaturação, e mesmo os pretos são suficientemente profundos para trazer à imagem um toque mais real e que se torna mais evidente em vídeos de qualidade HD ou 4K.

Os televisores da Hisense já estão em várias lojas de retalho em Portugal e a Worten foi parceira no lançamento das novas gamas de TV e os novos modelos de televisores ULED devem chegar ao mercado português a tempo do Mundial de Futebol.

Também na gama de smartphones a Hisense vai trazer novidades a partir de Abril. Depois das gamas de entrada que começam no T5 e que vão até ao flagship Rock C30, a marca vai avançar em abril com a gama Infinity, com modelos como o H11 / H11 Pro / F24 e os smartphones de entrada F17 / F17 Pro, mas o Hisense  A2 Pro deve chegar às lojas portuguesas em junho, com as vantagens de um duplo ecrã, um dos quais com e-ink. E mais novidades se estão a preparar no MWC, onde a Hisense promete novos smartphones.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.