Tocou jazz e hip-hop a partir de uma marimba com uma destreza invulgar – e dizem que fisicamente impossível para um humano, ou não estivéssemos a falar de um robot de quatro braços – e passou a ser compositor.

Os criadores do Shimon voltaram-se para a inteligência artificial e agora o robot também tem Deep no nome, em alusão às novas capacidades adquiridas graças à “aprendizagem profunda”, ou deep learning na denominação original do conceito.

Para transformá-lo numa máquina de fazer música, Shimon foi posto a estudar uma base de dados de perto de 5.000 composições já existentes, desde Beethoven aos Beatles, Miles Davis ou Lady Gaga.

Georgia Tech diz que esta é a primeira vez que um robot usa deep learning para criar música. E já pode julgar a qualidade dos dois primeiros trabalhos.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.