Os dados partilhados pelo Jet Propulsion Laboratory na Califórnia revelam um asteróide com formato semelhante a um amendoim, onde duas partes são mantidas em sintonia pela atração gravitacional.

A passagem registou-se a 25 de julho e é a mais próxima da órbita da Terra que o 1999 JD6 fará nos próximos 40 anos. A próxima vez que este asteróide se vai aproximar tanto da Terra será em 2054, mas mesmo assim a NASA mantém-o debaixo de olho dentro do programa de vigilância que identifica possiveis ameaças de objetos extraterrestre, o Near-Earth Object Program

O asteróide passou a uma distância de 7,2 milhões de quilómetros, o que corresponde a cerca de 19 vezes a distância da Terra à Lua.

O telescópio Goldstone foi usado para transmitir o sinal de radar, que foi recolhido pela antena de maior dimensão do Green Bank, da instalação da National Science Foundation, uma técnica que permite melhorar a resolução das imagens, como se mostra no vídeo partilhado pela NASA.

 

Lance Benner, responsável pelo programa de pesquisa e identificação de asteróides da NASA no JPL, afirma que quase 15% dos asteróides que passam próximo da terra com um tamanho acima dos 180 metros têm um formato ligeiramente oval, semelhante a um amendoim.

O 1999 JD6 foi identificado em 1999 (dai o nome) e tem sido estudado por vários astrónomos, mas este novo método revelou novos detalhes, confirmando que tem cerca de 2 quilómetros de comprimento e que tem um período de retação de cerca de 7,7 horas.

A NASA já admitiu que não consegue ter certezas sobre a rota dos asteróides que passam próximo da Terra e delineou um plano para "caçar" estes objetos em 2020.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.