A série Far Cry da Ubisoft transporta os jogadores para mundos paradisíacos distintos, a cada novo capítulo, sem ligações diretas entre si. No entanto, acaba de chegar às lojas New Dawn, uma expansão/sequela de Far Cry 5, que abre a exceção de continuar a história do jogo anterior. Se jogou o quinto capítulo, no final acontece uma catástrofe nuclear, que destrói o mundo, e a nova aventura arranca 17 anos depois, num cenário devastado, completamente alterado, lembrando Mad Max.

O palco é o mesmo, Hope County, mas o protagonista é agora um capitão de segurança de um homem importante chamado Thomas Rush, e terá como objetivo ajudar os sobreviventes da catástrofe. O cenário troca o cliché habitual dos cenários “enferrujados” e amarelados por um mundo vibrante e colorido, num ambiente reclamado pela natureza.

Obviamente que o jogo introduz a “loucura” patente em todos os jogos da série, salientando não um vilão lunático, mas o par de gémeas Mickey e Lou, igualmente perigosas e tresloucadas. O antagonista do título anterior, Joseph Seed, terá eventualmente um papel, mas fica guardado para os fãs descobrirem os segredos da história.

Tal como é habitual, o jogador irá explorar um mundo aberto, repleto de atividades para fazer, e até criar uma base chamada Prosperity, contando com os sobreviventes salvos. O jogo introduz ainda elementos RPG de uma forma ligeira, melhorando diversos parâmetros da personagem, que se torna mais poderosa no progresso da aventura.

Uma das novidades na saga é a exploração de zonas chamadas Expeditions, que são inspiradas em localizações únicas espalhadas pela América, premiando com recursos essenciais.

Far Cry: New Dawn já se encontra à venda em versões PC, PS4 e Xbox One e não precisa de Far Cry 5 para correr.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.