Os dados publicados pelo Centro de Controle de doenças europeu (ECDC na sigla em ingês)revelam que nos últimos 14 dias Portugal registou mais de 200 casos por 100 mil habitantes, subindo de nível de classificação para o vermelho, depois de se ter mantido no amarelo nas últimas semanas.

Esta semana a situação foi considerada de muito elevada preocupação em seis países, a Croácia, República Checa, Grécia, Hungria, Polónia e Eslovénia, enquanto outros 17 paíes estão em "elevada preocupação" e Portugal está no grupo de preocupação moderada, com a Finlândia, França, Malta e Suécia.

Nas últimas semanas a situação de Portugal estava mais controlada, como se pode ver nos mapas abaixo.

Esta segunda feira Portugal registava 445 surtos ativos de COVID-19 no continente, perto de metade na região de Lisboa e Vale do Tejo, como revelavam dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) avançados à Lusa.

Ontem foram registados mais 3.773 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 17 mortes associadas à COVID-19, além de um novo aumento do número de internados em enfermaria e em cuidados intensivos, segundo dados oficiais.

O número de novos casos de covid-19 ontem registado é o valor mais elevado desde 28 de julho, quando se verificaram 3.452.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), estavam ontem internadas 681 pessoas, mais 32 do que na terça-feira, das quais 105 em unidades de cuidados intensivos, mais 12.

A taxa de incidência do vírus SARS-CoV-2 a nível nacional voltou a registar um aumento significativo, passando para 251,1 casos por 100 mil habitantes, enquanto o índice de transmissibilidade (Rt) subiu para 1,20.

A COVID-19 já matou em Portugal, desde março de 2020, 18.370 pessoas e foram contabilizados 1.130.370 casos de infeção, segundo dados da DGS.

O mapa de incidência da ECDC mostra também a evolução a nível europeu.

Incidência de COVID-19 por país
créditos: ECDC

Mais de 5,165 milhões de mortos em todo o mundo

A pandemia provocada pelo novo coronavírus já fez pelo menos 5.165.289 mortos em todo o mundo desde que foi notificado o primeiro caso na China no final de 2019, segundo o balanço diário da agência France-Press divulgado ontem.

Mais de 258.299.880 pessoas foram infetadas pelo novo coronavírus em todo o mundo no mesmo período e até às 11:00 de ontem, indicou a AFP. Na terça-feira, registaram-se 8.499 mortes e 763.521 novas infeções, segundo os números coligidos e divulgados pela agência.

Os países que registaram mais mortes nas últimas 24 horas foram a Rússia (1.240), os Estados Unidos (1.183) e a Ucrânia (595).

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afetado, tanto em número de mortes como de infeções, com um total de 773.867 mortes e 47.982.843 casos, segundo os dados da Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 613.066 mortes e 22.030.182 casos, a Índia com 466.584 mortes (34.535.763 casos), o México com 292.850 mortes (3.867.976 casos) e a Rússia com 267.819 mortos (9.434.393 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 609 mortes por 100.000 habitantes, seguido pela Bulgária (396), Bósnia (376), Montenegro (360), Macedónia do Norte (358), Hungria (345) e República Checa (303).

Em termos de regiões do mundo, América Latina e as Caraíbas tiveram um total de 1.536.155 mortes para 46.506.386 casos, Europa 1.495.319 mortes (81.955.159 casos), Ásia 891.837 mortes (56.932.896 casos), Estados Unidos e Canadá 803.394 mortes (49.754.305 casos), África 221.868 mortes (8.610.351 casos), Médio Oriente 213.466 mortes (14.241.215 casos) e Oceânia 3.250 mortes (299.572 casos).

O balanço foi feito com base em dados obtidos pela AFP junto das autoridades nacionais e informações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com mais informação

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.