Chama-se “One More Thing” e está agendado para o dia 10 de novembro, com sempre, às 18h00 (hora de Lisboa). Trata-se de mais um evento da Apple, com todo o mistério que a marca da maçã gosta de brindar os fãs dos seus produtos. Mas o que terá Tim Cook ainda por revelar? Considerando que a nova família de iPhone, iPad, Apple Watch e até o novo iOS e serviços já foram descortinados, resta apenas, por exclusão de partes, falar de novos computador Mac.

Poderá ser a estreia da nova arquitetura Apple Silicon, que Tim Cook revelou ao mundo em junho, durante o Apple WWDC 2020, assim como novidades sobre o seu novo sistema operativo macOS Big Sur.

A Apple apresentou um novo design para o seu sistema operativo dos computadores Mac, aquele que considera ser a maior modificação desde o macOS 10. O sistema operativo parece aproximar-se do iOS, tendo um ambiente light e dark, e uma maior facilidade de navegação entre as aplicações. A Dock tem uma barra de ferramentas, que os utilizadores vão conhecer rapidamente, na base do ecrã. As aplicações foram construídos com a mesma filosofia do iPad, com as ferramentas agrupadas e arrumadas de forma a ocupar pouco espaço no ecrã, sendo translúcido para ser menos intrusivo.

Relativamente ao Apple Silicon, a apple deu o exemplo das otimizações feitas para cada um dos seus equipamentos, dos smartphones aos smartwatches, numa filosofia que pretende agora aplicar aos Macs. Entre os destaques estão a performance e gestão de energia que a fabricante procura para o Mac, ou seja, o maior desempenho gastando menos energia. Para tal, introduziu uma nova família de SoCs que vão alimentar a próxima geração dos computadores da empresa.

Os novos chips têm uma nova identidade (Universal Apps) para que os developers possam construir aplicações considerando as suas especificações, incluindo soluções da Microsoft e da Adobe. Na sua revelação, a empresa mostrou o Office, incluindo o Word e Excel a correr de forma otimizada no novo sistema operativo do Mac. O mesmo para o Lightroom, a aplicação de edição de fotografias da Adobe, assim como o Photoshop e o Final Cut, com filtros adicionados em tempo real, com o vídeo a correr em três janelas independentes.

A tecnologia Rosetta 2 permite traduzir o código das aplicações entre o sistema antigo para o novo. Há ainda ferramentas de virtualização para os developers trabalharem as suas aplicações e as lançarem mais rapidamente. E sobretudo, traduzir os seus anteriores projetos para a nova realidade Mac.

Os novos Macs permitem ainda correr diretamente jogos do iOS e iPad, sem qualquer mudança por parte dos developers. E para tornar as apps universais, a Apple criou um novo programa com um kit de desenvolvimento de transição para os developers. Na altura, a Apple revelou que os developers iam de imediato começar a receber unidades, preparando-se antecipadamente ao lançamento das novas máquinas. Foi referido que os novos computadores iam chegar no final do ano, para um período de transição previso ao longo dos próximos dois anos...

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.