Muito se tem escrito sobre a comissão de inquérito à Fundação para as Comunicações Móveis, vulgarmente designada por comissão Magalhães, por ser este um dos principais temas em análise pelos deputados. No entanto, só amanhã o processo de audição das 36 personalidades que podem ajudar a esclarecer as dúvidas dos deputados chega ao terreno.



Antes disso, os deputados já receberam informação diversa, como confirmou ao Diário de Notícias Jorge Costa, coordenador dos deputados do PSD na comissão.



O material em questão foi enviado pela Fundação paras as Comunicações Móveis, organismo criado para gerir os programas de fomento das TIC no ensino e as verbas entregues pelos operadores no âmbito dos compromissos assumidos para o desenvolvimento da Sociedade da Informação, quando receberam as licenças da terceira geração móvel.


A documentação recebida veio ainda do Governo e de empresas privadas e será agora analisada funcionando como "uma base de partida para as audições".



O primeiro "ouvido" do processo que vai esclarecer um conjunto de dúvidas em torno do desenrolar dos programas e-escola e e-escolinha será Mário Franco, presidente da Fundação para as Comunicações Móveis.



Freitas do Amaral será ouvido no dia seguinte, na condição de especialista em direito administrativo. Na quarta-feira será ainda ouvido Mário Lino, anterior ministro dos transportes, obras públicas e comunicações, na primeira legislatura do executivo liderado por José Sócrates.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.