O computador mais poderoso do mundo pode estar prestes a deixar de o ser. De acordo com Rick Perry, secretário da Energia do governo norte-americano, há um projeto público em andamento, que está a ser desenvolvido com a ajuda da Intel e da Cray Computing, que deverá culminar com a construção do primeiro computador de exoescala. Máquinas desta categoria são capazes de fazer, no mínimo, um quintilião de cálculos por segundo.

O supercomputador vai chamar-se Aurora e a Intel já traçou o ano de 2021 como meta para o lançamento da máquina.

“Alcançar a exoescala é imperativo, não só para melhorarmos a comunidade científica, mas para que possamos melhorar a vida quotidiana dos americanos”, disse o responsável em declarações à imprensa. “Tanto o Aurora como os restantes supercomputadores de exoescala vão poder aplicar operações de computação de alta performance e tecnologias de inteligência artificial em estudos sobre o cancro [e] as alterações climáticas”, concluiu.

Investimento de mil milhões em supercomputadores avança com apoio dos ministros da UE
Investimento de mil milhões em supercomputadores avança com apoio dos ministros da UE
Ver artigo

O Aurora, que deverá custar cerca de 500 milhões de dólares, vai ainda incidir sobre a prevenção de suicídios, através da análise de fatores de risco, e a descoberta de materiais que tornem mais eficientes as células solares dos painéis fotovoltaicos. Uma outra área onde promete ser preponderante é a simulação de catástrofes de dimensão cosmológica.

As equipas por detrás deste supercomputador ainda não estão prontas para partilhar detalhes técnicos sobre o Aurora, mas escreve a imprensa internacional que a máquina vai utilizar um processador Intel Xeon Scalable, memória Intel Optace DC e a API One, também ela da Intel.

Desde junho do ano passado que os EUA são a casa do computador mais potente do mundo. A China era a anterior “dententora do título”, mas o país está interessado em manter-se na corrida. Em 2018 assumiu que já tinha protótipos para construir uma computador de exoescala, sendo que o mesmo deverá ser apresentado na segunda metade de 2020 ou na primeira de 2021. O Japão é outro dos países que já demonstrou interesse em desenvolver um computador destes. Na Europa, o primeiro computador de exoescala deverá estar operacional algures entre 2022 e 2023.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.