A Bird acaba de anunciar a sua próxima geração de trotinete elétrica, que segundo o The Verge, que já a testou, será mais resistente, com maior autonomia e mais poderosa. O modelo chama-se Bird One e foi construída para durar mais tempo que as versões anteriores, destinando-se ao público que deseja uma alternativa de mobilidade nas cidades, sem ter de utilizar constantemente serviços pagos. O preço estimado é de 1.300 dólares, o que pode ser um valor interessante para quem deseja fazer aquele “último quilómetro” entre os transportes.

Segundo é referido, a empresa californiana, criada em 2017, arrancou com modelos construídos pela Xiaomi e Segway, que não foram desenhadas para utilização massiva, em frota, levando os equipamentos a avariarem rapidamente, obrigando a empresa a ter prejuízo nos serviços. O novo modelo tem uma previsão de funcionamento de cerca de um ano, até ser necessário fazer manutenções e reparações no equipamento.

Até aqui, todas as empresas de aluguer das trotinetes têm tido dificuldade em tornarem-se lucrativas porque o tempo que demora a capitalizar um dispositivo, é praticamente o mesmo da sua duração de vida, havendo necessidade de o substituir.

A empresa referiu ao The Verge que ainda que a qualidade seja superior do novo modelo, este custa menos 50 dólares que o anterior Bird Zero. A nova trotinete chegou hoje à pré-compra e está disponível em três cores: branco, preto e rosa, e embora seja por um valor superior a outras marcas, o novo modelo tem uma bateria de 473 Wh, que a empresa refere ser o dobro da autonomia da concorrência e capaz de circular quase 50 quilómetros com apenas uma carga.

A trotinete consegue atingir os 30 km/h de velocidade, para um limite de peso de 100 kg. Outras características do dispositivo passam pelo sistema antirroubo através de GPS e um cadeado digital que pode ser ativado através de uma aplicação de smartphone.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.