A Comissão Europeia lançou um Observatório para discutir a tecnologia de blockchain, uma base de dados frequentemente utilizada para registar transacções feitas com criptomoedas como a bitcoin, a litecoin e o ethereum.

Através do Observatório e Fórum da UE para a Tecnologia de Cadeia de Blocos, Bruxelas quer aproveitar o enorme potencial social e económico destas tecnologias “para tornar as transações online mais seguras, ao prevenirem ataques e ao eliminarem a necessidade de qualquer intermediário”, diz Andrus Ansip, o vice-presidente responsável pelo Mercado Único Digital, em comunicado.

Salientando que vários empresários europeus já oferecem soluções baseadas na tecnologia, a Comissão refere ainda que “estas tecnologias deverão ter impacto no sector dos serviços digitais e transformar os modelos empresariais numa vasta gama de domínios, como os cuidados de saúde, seguros, finanças, energia, logística, gestão dos direitos de propriedade intelectual ou serviços públicos".

Para Mariya Gabriel, a Comissária responsável pela Economia e Sociedade Digitais, trata-se de criar o “ambiente adequado, um Mercado Único Digital para a tecnologia de cadeia de blocos, em vez de uma manta de retalhos de iniciativas”, pelo que esta tecnologia é um factor de mudança e em “cujo desenvolvimento a UE deve estar na vanguarda”.

Desde 2013, que a Comissão tem vindo a financiar projetos de blockchain, tendo já alocado 83 milhões de euros a esta área através de  programas de investigação da União Europeia. E, até 2020, vai financiar com até 340 milhões de euros, projectos dedicados a este protocolo.

Além do Observatório, Bruxelas vai lançar também um prémio de cinco milhões de euros para distinguir as melhores inovações ao abrigo deste protocolo.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.