Não é novidade que as marcas definam agora como mote o design para o cliente, colocando as pessoas no centro da atenção e focando as experiências reais, que são nomeadamente multifacetadas, e abrangem o mundo profissional, com as suas muitas exigências, mas também o entretenimento e a vida doméstica. Esta é também a visão da Lenovo, que tem uma herança importante com os ThinkPad que comprou à IBM, a que já somou a inovação dos Yoga e do efeito de convertível 360º.

Mas o que faz a empresa diferente? Brian Leonard, vice presidente de Product Experience Design da Lenovo explicou aos jornalistas, numa sessão antes do Tech Live, na IFA 2018, que tem o melhor emprego do mundo, na maioria dos dias, e que a equipa de design esté totalmente focada em trabalhar com a engenharia para um design com propósito, produtos duráveis e que não se limitem a modas passageiras.

“Focamo-nos no design de multigeração. Quando colocamos a lente no futuro temos uma perspetiva diferente”, explica Brian Leonard. A forma segue sempre a função e o propósito é fazer uma ligação aos clientes, com experiências fantásticas e uma interação natural, entendendo as necessidades dos clientes e resolvendo os problemas.

Um dos exemplos é a aplicação de uma barra de som no novo Yoga C930, mas o Yoga Book e a adição de um segundo ecrã e-ink que serve de teclado, bloco de desenho e notas e ainda de leitor de eBooks.

Na nova linha de 2018-19 o conceito de “consumerization” evolui para “domestication” e a forma como os computadores podem encaixar de forma fácil nas nossas vidas. “A tecnologia está a apropriar-se do design e do estilo dos acessórios. Hoje desenhamos a tecnologia para se integrar. E temos de nos focar na forma como as coisas se ligam de forma confortável – novos materiais, múltiplas finalizações”, defende o vice presidente de design e experiência de produto.

A fórmula agora é formas simplificadas, materiais naturais e soft, composições de cor, “cores sofisticadas que perdurem e que não tragam remorsos alguns meses depois por termos escolhido a cor errada”, explica Brian Leonard. Os materiais de luxo, metais preciosos e combinação de materiais, cores como iron grey e Mica, a novidade da IFA 2018.

Isto tudo em combinação com  a engenharia. “Nunca vai acabar a procura de thin e light, mas nem por isso comprometemos a performance e a bateria”, justifica, acrescentando que as tendências de gaming estão a aumentar, assim como a utilização de interfaces naturais, por caneta e voz, e a exigência dos ecrãs de qualidade e do melhor som.

“A nossa ideia não é ter um produto fantástico e vender a toda a gente. Um geek, um viajante de negócios e uma criança na escola têm experiências muito diferentes e devemos ter produtos diferentes para cada um destes clientes”, define ainda.

Brian Leonard lembra a história da Lenovo para reafirmar estes conceitos: o ThinkPad que foi pensado com base numa lunch box e que a empresa decidiu manter nos conceitos originais, seguindo-se o Yoga que há seis anos apostou num conceito de tablet convertível em 360º. E a estes junta-se o conceito de computadores de jogos com o Legion, onde a marca decidiu ouvir os consumidores para mudar as lógicas aplicadas pela concorrência – e fazer um computador discreto que possa ser levado para o trabalho durante o dia e que se torna um “animal” durante a noite.

A empresa tem vários centros de design espalhados pelo globo, o que dá uma perspectiva diferente do que fazer para os mercados globais. “Temos grandes marcas e um histórico de design importante com o ThinkPad e o Yoga, mas temos de olhar para a frente e não para o espelho traseiro”, garante.

A visão de um designer português

E como é vista esta estratégia pelos designers portugueses? Filipe Simões foi um dos 14 “influenciadores” de todo o mundo que a Lenovo levou à IFA 2018, uma experiência que o designer português considera bastante interessante e que permitiu conhecer melhor a marca e partilhar experiências com outros influencers convidados.

Publicitário de profissão, Filipe Simões trabalha na Fullsix onde tem estado envolvido em projetos que considera desafiantes, mas foi uma publicação na sua conta de Instagram que lhe garantiu o bilhete para Berlim. “Foi um bocado de sorte”, afirma com alguma modéstia o designer que acredita que há muita gente muito boa e que estar entre pouco mais de uma dúzia de escolhidos é um privilégio.

Filipe Simões na IFA 2018

Como designer Filipe Simões apreciou sobretudo algumas evoluções que pode testemunhar no design de produto da Lenovo, especialmente no uso de materiais e na aplicação da barra de som no Yoga C930. “E há uma atenção aos pequenos pormenores, como o local para guardar a caneta, a garaged pen”, refere ainda em entrevista ao SAPO TEK.

“Também gostei dos vídeos de testes de tortura, onde a Lenovo mostra a forma como testa a resistência dos equipamentos”, afirma.

O botão vermelho do ThinkPad e o novo sistema de abertura do Yoga Book, com o knock knock, que quebra as barreiras do básico e leva a empresa para outro nível, são também referidos como fatores distintivos da Lenovo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.