A divisão Quantum AI da Google uniu forças com a farmacêutica Boehringer Ingelheim para ajudar a desenvolver novos tipos de medicamentos. A missão conjunta, estabelecida durante três anos, passa por investigar e desenvolver tecnologia de computação quântica para simulações de “dinâmica molecular” ou para o estudo da forma como as moléculas e os átomos se movem.

A Boehringer Ingelheim vai conduzir o projeto “in silico”, ou seja, através de uma simulação computacional. Para isso, conta com a Google, que vai disponibilizar os computadores quânticos e os algoritmos. A Boehringer Ingelheim garante que é a "primeira empresa farmacêutica do mundo a unir forças com o Google na área da computação quântica".

A Google reclama supremacia quântica, mas IBM diz que não é bem assim…
A Google reclama supremacia quântica, mas IBM diz que não é bem assim…
Ver artigo

Em comunicado, o líder de algoritmos quânticos da Google, Ryan Babbush, destaca a potencialidade deste projeto. “A modelagem extremamente precisa de sistemas moleculares é amplamente considerada como uma das aplicações mais naturais e potencialmente transformadoras da computação quântica”, explica.

Também a farmacêutica destaca a importância deste projeto. “A computação quântica tem o potencial de simular e comparar com precisão moléculas muito maiores do que atualmente é possível”, pode ler-se no comunicado.

De notar, no entanto, que, tendo em conta que a computação quântica é uma "tecnologia emergente", pode levar ainda algum tempo para a parceria dar frutos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.