Dias depois da Microsoft ter definido um preçário para o licenciamento da sua tecnologia de compressão de áudio e vídeo Windows Media baseada em codecs para ser utilizada em sistemas operativos que não o Windows, um grupo de empresas que apoiam o formato alternativo MPEG-4 veio a público criticar as novas taxas de licenciamento estabelecidas pela gigante de software.



Segundo os preços definidos recentemente, a Microsoft irá cobrar 10 cêntimos de dólar por cada cópia de software codificador baseado na tecnologia que seja distribuído, 20 cêntimos por cada aplicação codificadora e 25 cêntimos por ambos. Mas, as companhias que suportam o MPEG-4 consideram que os novos preços colocam problemas de concorrência injusta e ameaçam a escolha do consumidor.



Isto porque o MPEG LA, consórcio composto por empresas que detêm patentes relacionadas com a implementação do formato padrão MPEG-4, cobra 25 cêntimos por descodificador e codificador ou 50 cêntimos por ambos. Esta tabela de preços foi fixada em Novembro passado. O MPEG-4 é um padrão emergente para a distribuição de conteúdos digitais multimédia em PCs, leitores de DVDs e aparelhos de electrónica de consumo.



Desta forma, os críticos afirmam que ao reduzir o preço a Microsoft está a ameaçar a tendência natural da indústria para migrar para padrões abertos que permitem que várias empresas trabalhem em conjunto para disponibilizar uma melhor escolha de conteúdos multimédia. O formato MPEG-2, por exemplo, antecessor do MPEG-4, é o padrão actualmente utilizado pela maior parte dos operadores de cabo digital e fabricantes de leitores de DVDs.



Estas críticas inserem-se no âmbito de uma guerra comercial agressiva para conquistar clientes não apenas no mercado dos PCs, mas também nos dos telemóveis, PDAs, DVDs e set-top boxes de televisão interactiva. O software compressor ou codecs ajudam a reduzir o tamanho de grandes ficheiros digitais ao remover os dados que não serão precisos na conversão e é uma tecnologia considerada essencial para desenvolver novos serviços de vídeo através da Internet e de redes sem fios.



A Microsoft, RealNetworks, Apple e outras companhias desenvolveram codecs avançados para tirar partido da adopção generalizada de média digital, obtendo melhorias de qualidade ao longo do caminho. E todas as empresas que exploram tecnologia de distribuição de média estão a apostar no domínio dos mercados dos PCs, bem como de outros dispositivos electrónicos.



Mas, enquanto que a Microsoft está a impulsionar a adopção da sua tecnologia proprietária por parte de fabricantes de electrónica de consumo e fornecedores de conteúdo, a Apple e a RealNetworks acabaram por suportar o MPEG-4.


Notícias Relacionadas:

2003-01-09 - Microsoft cria plataforma para leitores de vídeo portáteis

2003-01-06 - Microsoft renova aposta na activação de produto com Plus Digital Media Edition

2002-12-17 - Microsoft prepara-se para lançar software de entretenimento para o Windows XP

2002-07-17 - Apple disponibiliza versão final de QuickTime 6 com base no formato MPEG-4

2001-12-12 - RealNetworks suporta novo standard MPEG-4

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.