O mais recente relatório anual da organização não-lucrativa em defesa da reciclagem Computer TakeBack Campaign acusa várias fabricantes norte-americanas de computadores de não fazerem o suficiente no que toca à redução do lixo electrónico e da utilização de material prejudicial para a saúde como o chumbo ou cloreto polivinílico nos seus processos produtivos,

A Computer TakeBack atribui pontuações fracas ou negativas a companhias como a HP e a Gateway, e criticou especialmente a Dell por não ter enviado representantes da empresa a reuniões de accionistas relacionadas com normas de utilização de materiais tóxicos. Segundo esta associação, a Dell está a colocar em risco a saúde de prisioneiros ao recorrer à UNICOR, empresa adjudicatária do governo dos Estados Unidos, que emprega os presos para reciclar computadores que já não trabalham.

Mas de acordo com a Dell, a companhia incentiva os consumidores a reciclarem computadores ao exigir que os proprietários dos seus PCs apenas paguem as despesas de envio quando devolvem as suas máquinas obsoletas. Para além disso, a Dell é uma das poucas fabricantes de PCs a aceitarem de volta computadores velhos entregues pelos clientes por um custo relativamente reduzido.

Segundo a mesma companhia, o facto de recorrer à UNICOR não é pouco seguro dado que esta empresa possui um bom registo no que toca à reciclagem de equipamento electrónico, permitindo, para além disso, que a Dell recicle computadores a um custo eficiente. Contudo, a Dell foi também criticada pela Silicon Valley Toxics Coalition por não reciclar as suas máquinas desactualizadas em quantidades suficientes.

O relatório do Computer TakeBack critica ainda a IBM de vender computadores nos Estados Unidos que contêm retardadores de chama bromados e que são proibidos em alguns países. A IBM não utiliza esse material nas máquinas comercializadas nessas nações. O grupo ecologista afirmou ainda que menos de 10 por cento dos computadores desactualizados nos Estados Unidos são renovados ou reciclados. Em 2007, prevê o National Safety Council, deverão existir 500 milhões de computadores e monitores inutilizados naquele país.

A organização ambiental elogiou a União Europeia pelos seus esforços no sentido de incumbir o fabricante de reciclar o equipamento, nos termos da directiva sobre resíduos de equipamento eléctrico e electrónico, que foi adoptada no ano passado e que exige que estes recolham, tratem, reciclem e reutilizem os seus produtos. As primeiras recolhas deverão começar em 2003.

Notícias Relacionadas:
2002-12-20 - Parlamento Europeu obriga fabricantes de impressoras a modificar características de cartuchos
2002-12-19 - Empresas de electrónica lançam plataforma pan-europeia de reciclagem
2002-10-11 - UE chega a acordo para recolha e tratamento de lixo electrónico nos Estados-membros
2002-02-14 - Resíduos eléctricos e electrónicos com nova legislação em Portugal

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.