Vários fabricantes já levantaram o caderno de encargos do concurso para a aquisição de 250 mil portáteis a distribuir nos próximos três anos aos alunos e professores do primeiro ciclo, uma iniciativa que dá sequência ao programa e-escolinha que teve como protagonista o portátil Magalhães.

O concurso já foi publicado no final da semana passada nos jornais oficiais e já esta semana foi alvo de uma alteração que antecipa a data de entrega de propostas para dia 23 de Fevereiro. No total está previsto um investimento de 50 milhões de euros que contemplam a compra de 250 mil portáteis e a assistência técnica por três anos.

Toshiba, HP, Asus e Samsung estão entre as empresas que confirmaram ao TeK que levantaram o caderno de encargos e que o estão a analisar, mantendo a intenção de participar no concurso, embora reservem algumas informações sobre a proposta, por questões de confidencialidade.

Recorde-se que vários fabricantes já tinham adiantado a sua disponibilidade para participar no concurso, nomeadamente a J.P. Sá Couto - que representa o Magalhães - mas também a HP, a Toshiba, a Acer, a Asus e a Dell. A Samsung é uma novidade na lista dos fabricantes interessados em participar no concurso.

O TeK contactou também a Asus, a Dell e a J.P. Sá Couto para saber se já tinham levantado os cadernos de encargos mas não foi possível obter essa informação até à hora de publicação desta peça. O Ministério da Educação também não confirmou quantas entidades terão levantado o caderno de encargos que está disponível na secretaria-geral do ministério.

Resistente, 10 polegadas de ecrã e dual boot

No caderno de encargos são esclarecidas algumas questões que não eram perceptíveis no texto de anúncio de concurso, como o facto dos requisitos de hardware passarem por um modelo de baixo custo, robusto, com ecrã de 10 polegadas e a respectiva assistência técnica.

Na componente de software volta a ser exigido o dual boot, com a possibilidade do portátil ser utilizado com os dois sistemas operativos, a pré-instalação do pacote de aplicações Microsoft Office e ainda de software educativo, que será fornecido pelo próprio Ministério para instalação nas máquinas, adiantaram ao TeK os fabricantes que já tiveram acesso aos documentos.

Para além da J.P. Sá Couto, a quem foi adjudicado o lote de 500 mil portáteis Magalhães que foram distribuídos no primeiro ano do e-escolinha, todos os outros fabricantes têm modelo de netbooks que consideram adequados a este concurso, alguns dos quais já estão a ser usados em programas com contornos semelhantes noutros países.

É o caso da Toshiba, que participa com os seus modelos de netbooks NB nos programas de Espanha e Inglaterra. A HP está também a participar "com muito sucesso", no concurso em Espanha, onde é fornecedor para várias regiões, adiantou ao TeK Alexandre Silveira, Marketing Manager, do Personal Systems Group, HP.

No Brasil, a HP também está envolvida num processo semelhante, considerando que os modelos mini-notes que tem na sua oferta se adequam ao caderno de encargos.

No caso da Samsung a opção pode passar mesmo por "desenvolver um modelo específico para este projecto", admite Sérgio Silva, Gestor de Produto de Portáteis da Samsung Electrónica Portugal, uma facilidade que decorre do facto da fabricante ser capaz de capaz de produzir cerca de 75% da tecnologia de um portátil.

A Samsung tem uma oferta alargada no seu portfólio de netbooks e tem vindo a participar em projectos de netbooks para crianças com subsidiação do Estado, apontando este responsável os casos de Espanha, França, Inglaterra e Itália, como alguns dos países onde a empresa coreana está envolvida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.