A marca sueca vai apresentar ainda neste ano o seu primeiro carro elétrico, mas, até lá, já deu a conhecer ao mundo alguns pormenores acerca da sua nova aposta em veículos mais “amigos” do ambiente. O novo automóvel toma por base o modelo XC40, um veículo utilitário desportivo que chegou ao mercado em maio de 2018.

A construção de um carro elétrico apresenta desafios que, caso não sejam resolvidos, podem vir a comprometer a segurança dos passageiros. Para tal a Volvo teve de redesenhar a sua estrutura frontal para lidar com a falta de um motor de combustão.

De acordo com Malin Ekholm, responsável pela área de segurança da fabricante, em comunicado à imprensa, a versão elétrica do XC40 será “um dos carros mais seguros” que a Volvo já construiu.

Para manter a segurança dos passageiros e a integridade da bateria em caso de colisão, a fabricante colocou-a na base da estrutura do novo XC40, protegendo-a com uma armação de alumínio extrudido. Segundo a empresa esta colocação tem a vantagem de fazer com que o carro tenha menos tendência a capotar em acidentes.

Uma vez que a estrutura reforçada não garante por si só um maior nível de segurança a Volvo apetrechou o seu carro elétrico com um conjunto de hardware e software para ajudar nessa missão.

Assim, o novo XC40 será o primeiro da Volvo a ter a plataforma de sensores ADAS (Advanced Driver Assistance Systems), desenvolvida pela Zeniuty, a joint venture entre a empresa e a Veeoner, uma fornecedora sueca de tecnologia automóvel. Composto por uma série de radares, câmaras e sensores ultrassónicos, o sistema alerta o condutor para situações perigosas na estrada e indica qual a melhor forma de proceder.

A fabricante sueca de automóveis vai dar a conhecer ao mundo a versão elétrica do XC40 a 16 de outubro e, entretanto, promete revelar em breve mais detalhes sobre o veículo ainda antes da sua apresentação oficial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.