Portugal assume a linha da frente, a nível europeu, no que diz respeito a serviços relacionados com a prevenção, diagnóstico, tratamento, reabilitação e acompanhamento de doenças cardiovasculares, garantiu Francisco George, presidente da Cruz Vermelha à TSF, em vésperas de inauguração do Centro do Coração. O investimento foi de 10 milhões de euros em tecnologia de última geração e métodos inovadores para tratar os pacientes.

Disponível para todos os utentes dos subsistemas de saúde, tais como a ADSE, seguros privados, cartão da Cruz Vermelha ou pacientes que possam pagar os tratamentos, o Centro do Coração irá estar sempre aberto, em funcionamento 24/7 durante todo o ano e não vai ter listas de espera. Futuramente poderá ser realizado um protocolo com o Serviço Nacional de Saúde para chegar a mais pessoas.

Segundo Francisco George, os equipamentos vão explorar todas as metodologias utilizadas na terapêutica das doenças do coração, mas de uma forma não invasiva, ou seja, tratamentos sem a necessidade de abrir a caixa torácica. Na equipa, constam cardiologistas, cirurgiões cardiotorácicos e outros especialistas capazes de resolver problemas de forma imediata, adianta a publicação.

Além dos tratamentos no hospital, os pacientes continuarão a ser acompanhados em casa, através da medição por meios telemáticos os dados gerados pelos doentes, tais como a pressão arterial, o peso ou arritmias.

O Centro do Coração abre portas esta sexta-feira, 31 de maio.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.