Avançando na sua campanha de aproximação ao mercado das PMEs, a IBM promove esta semana dois eventos "IBM na sua cidade" em Portugal, um em Lisboa, que decorreu esta segunda-feira, e outro no Porto, no próximo dia 5 de Novembro, onde dá a conhecer o seu portfólio Express - conjunto de produtos IBM para o mercado das empresas de menor dimensão -, a parceiros e clientes.



"O que pretendemos fazer com estes eventos é pura e simplesmente dizer que estamos totalmente comprometidos com toda e qualquer solução que seja feita sobre tecnologia IBM, quer dirigida a grandes empresas, quer dirigida para PMEs", explicou Sérgio Aniceto, director da divisão de software da IBM Portuguesa, em declarações ao TeK. "Há uns anos atrás o mercado pensava que o software IBM era só para as grandes organizações e havia também a ideia de que a própria IBM só estaria interessada em vender para essas mesmas organizações", referiu Sérgio Aniceto garantindo que tal não é verdade. "Neste momento, não obstante ser uma empresa para grandes organizações, a IBM está também totalmente vocacionada para as PMEs".



Pela primeira vez apresentada este Verão, a linha de software IBM para PMEs, a que se chamou Express, inclui edições revistas dos produtos que resultam em instalações mais fáceis e configurações mais simples e é comercializada sob cinco marcas: Rational, WebSphere, BB2, Lotus e Tivoli (ver Notícias Relacionadas).



No mercado português ainda não existe uma oferta Express dos produtos Rational "por razões contratuais", segundo o responsável pela área de software da IBM Portuguesa, mas todos os outros estão disponíveis.



O responsável salienta que talvez existam soluções mais apropriadas para o caso nacional, como a Portal Express, já divulgada entre as PMEs portuguesas e, segundo Sérgio Aniceto, com muito boa aceitação. "Não quisemos lançar todo o nosso portfólio Express por que achámos que não faria sentido", referiu, adiantando que a IBM portuguesa pretende chegar às empresas alvo com algo que lhes permita começarem de uma forma sensata a criar uma envergadura suficiente para que mais tarde, então, possam pensar na adopção de outras soluções.



Para o responsável da área de software da IBM portuguesa, as empresas nacionais estão um pouco atrasadas "no sentido de se dotarem de tecnologias da informação para fazer face ao seu negócio", explica, acreditando ser igualmente importante desmistificar a questão dos custos associados às soluções IBM. "Na actual conjuntura, todo e qualquer investimento em tecnologias que não seja considerado absolutamente vital para uma empresa não se faz", referiu. A solução encontrada pela IBM para tentar combater esta pratica que se tornou corrente foi baixar "drasticamente" o preço dos equipamentos.



As soluções do portfólio Express têm um custo associado que pode variar entre os cinco mil euros e os 50 mil euros - dependendo da sua dimensão - e nas palavras do responsável da IBM portuguesa, ficam normalmente a funcionar em três semanas, depois do cliente fornecer a informação para a sua costumização. Ao portfólio Express está também associado um plano de financiamento com juros reduzidos que torna mais acessível a instalação e actualização do software entre as PMEs.



Com a nova estratégia de aproximação às empresas de média e pequena dimensão, o negócio de software da IBM em Portugal mais do que triplicou durante os três primeiros trimestres de 2003, comparativamente a idêntico período do ano passado, adiantou Sérgio Aniceto.



Notícias Relacionadas:

2003-06-27 - IBM pretende cativar PMEs com novas edições Express

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.