A Impossible Aerospace é uma startup que faz jus ao nome que escolheu. A empresa norte-americana, especialista no sector dos drones, reclama ter desenvolvido uma bateria que é capaz de manter um drone em voo durante duas horas seguidas. Esta marca corresponde ao quíntuplo daquilo que a maioria dos modelos comerciais é capaz de alcançar.

A tecnológica, que desenvolveu o US-1 para demonstrar as potencialidades do seu sistema, explicou que o drone pode manter-se no ar durante muito tempo, graças à sua estrutura, que é também a sua principal fonte de alimentação. Desta forma, o aparelho consegue compreender mais baterias, ao mesmo tempo que mantém o seu peso.

"Percebemos que é possível criar baterias estruturais, que integram as tecnologias de segurança necessárias para lidar com as imprevisíveis características das baterias de iões lítio", comentou o CEO, Spencer Gore. O empresário, que trabalhou na Tesla e na SpaceX, afirmou que o seu design corresponde ao modelo padrão que as fabricantes deveriam adotar para para combater com as empresas de aeronaves mais comuns.

Note que o US-1 tem uma velocidade máxima de 67 quilómetros por hora e um raio de alcance que supera os 70 quilómetros por hora. A Impossible Aerospace sublinha que a bateria pode ser totalmente carregada no espaço de uma hora.

A empresa já está a vender as primeiras unidades deste US-1, que para além da autonomia se destaca pelos sensores óticos e termais e palo GPS. Estas ferramentas fazem deste drone o gadget perfeito para os quartéis de bombeiros e outras equipas de vigilância que não vêm como muito prática a constante mudança de baterias neste tipo de equipamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.