No contexto da Intel Developer Forum que está a decorrer em Tóquio, no Japão, a Intel lançou dois novos programas destinados a permitir que as fabricantes construam telemóveis e PDAs que podem controlar redes domésticas pessoais e fornecer um ambiente de programação de aplicações que seja comum a todos os mais recentes processadores da companhia.



O primeiro software, que será oferecido gratuitamente aos fabricantes de dispositivos sem fios baseados na plataforma Pocket PC da Microsoft sob a forma de um kit de programação de software para a Intel Personal Internet Client Architecture (Intel PCA) - um esboço de desenvolvimento para a produção de aparelhos móveis que combinam comunicações de voz e capacidades de acesso à Internet. O kit está disponível na página da Web relativa à Intel PCA Developer Network.



O processo de controle de redes domésticas baseia-se na tecnologia Universal Plug and Play (UPnP) e pode ser efectuado no interior ou exterior da casa. A tecnologia UPnP de redes permite que PCs e dispositivos "inteligentes" em rede - como sistemas de segurança e de entretenimento ou gateways de Internet - se liguem automaticamente entre si e funcionem em conjunto na mesma rede. Desta forma, o novo kit permite que os aparelhos sem fios controle todos os dispositivos existentes numa rede doméstica, administrem conteúdos multimédia por toda a casa e criem redes pessoais com outros dispositivos em rede.



O outro programa apresentado no Intel Developer Forum foi a versão 2.0 do Intel Integrated Performance Primitives (IPP), um elemento chave na estratégia da fabricante de semicondutores de disponibilizar ferramentas de programação de software que suportem todas as suas principais arquitecturas. O IPP 2.0 consiste numa biblioteca de software independente de plataformas que integra funções para o desenvolvimento de aplicações avançadas.



Com esta ferramenta, os programadores poderão tirar partido de um ambiente comum de programação de aplicações que correm nos mais recentes processadores da Intel para os segmentos de mercado dos PCs, servidores e dispositivos sem fios, diminuindo desta forma a repetição do design e os custos de desenvolvimento e reduzindo o tempo de chegada ao mercado dos novos títulos de software.



Até agora e na maior parte das vezes, os programadores eram obrigados a empregar diferentes ambientes de desenvolvimento para cada processador. De acordo com o comunicado oficial divulgado, o Intel IPP 2.0 oferece-lhes a oportunidade de escreverem código apenas para um único Application Programming Interface (APIs) que está adaptado para os mais recentes processadores da companhia, como o Pentium 4, Xeon e Itanium para PCs e servidores, e o PXA250 e PXA210, baseados na tecnologia XScale para PDAs.



O IPP 2.0 é a mais recente de um conjunto de ferramentas comuns a todas as plataformas que evitam que os programadores tenham que escrever código para uma vasta gama de plataformas da Intel. Esta companhia está actualmente a tentar incorporar nas futuras versões dos seus compiladores e do VTune Performance Analyzer suporte para a Intel PCA.



Abrangendo mais de três mil funções para o processamento de sinais e imagens, o Intel IPP 2.0 abstrai as funcionalidades multimédia do processador que está por baixo. Este software integra ainda um mecanismo dinâmico especial de envio para manipular com os ramos específicos do processador para cada função, no caso do Pentium 4, Xeon e Itanium.



A segunda versão do IPP incorpora suporte de 32 e 64 bits para os sistemas operativos Windows e Linux indicados para os processadores Pentium 4, Xeon e Itanium e optimizações para o PXA250 e o PXA210, principais componentes da Intel PCA. Esta ferramenta inclui ainda novas capacidades para programadores de aplicações multimédia no que toca a qualidade sonora melhorada e desempenho da qualidade de imagem.



Para além disso, o Intel IPP 2.0 acrescentou também codificação de áudio e codecs de vídeo (codificadores e descodificadores) que disponibilizam descodificação de MP3, MP4, JPEG e H.263 para a arquitectura da Intel. Entre outras funcionalidade, incluem-se pequenas operações de matrizes e suporte vectorial que beneficiam aplicações numéricas e gráficas em pequena escala.



O Intel IPP 2.0 suporta também a linguagem Microsoft Visual C++ e os compiladores C/C++ da Intel e a edição adaptada para a arquitectura Intel irá começar a ser comercializado a partir de Maio a um preço de 199 dólares (223,64 euros) na compra de só uma unidade e de 179 dólares (201,16 euros) cada, caso forem adquiridos lotes de dez. A edição para processadores de dispositivos móveis, adaptada à Intel PCA, estará disponível gratuitamente a partir deste trimestre.


Notícias Relacionadas:

2001-06-05 - Intel divulga nova especificação de UPnP para a Internet

2001-05-17 - Intel lança Internet num só chip para dispositivos sem fios

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.