A Linux Foundation pôs no terreno o Open Compliance Program, um programa que tem por objectivo simplificar algumas das complexidades de licenciamento colocadas aos vendedores de Linux. Um conjunto de ferramentas e formação são alguns dos componentes do novo programa.

O kernel do Linux e muitos dos componentes-chave são publicados sob General Public License (GPL) do GNU, que permite que os utilizadores modifiquem e redistribuam o software com a condição de divulgarem as modificações entretanto operadas.

O sistema de licenciamento requer que os vendedores publiquem todo o código e derivados usados nos seus produtos e incluam um aviso no produto a informar o utilizador final sobre a disponibilidade do código-fonte, exigências que muitos vendedores não cumprem.

As empresas muitas vezes não compreendem as obrigações impostas pelo GPL e não reconhecem a distinção entre open source e domínio público, considera a Linux Foundation, admitindo ao mesmo tempo que podem surgir uma série de outras questões, como software que integra múltiplos componentes com licenças e cenários conflituosos.

Mediante o novo Open Compliance Program, e com a ajuda de um conjunto alargado de players, como a Adobe, a AMD, a Google, a HP, a Intel e a Samsung, a organização disponibiliza um conjunto de recursos destinados a ajudar as empresas a cumprirem os requisitos impostos pelas licenças open source.

Ferramentas como o Dependency Checker, Bill of Material (BoM) Difference Checker ou o Code Janitor, consultoria, formação e uma checklist que descreve as melhores práticas - através da qual as empresas podem confirmar se estão em conformidade com as políticas requeridas - são alguns dos recursos disponibilizados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.