Fez há pouco tempo 20 anos que o computador Deep Blue, da IBM, “bateu” o campeão mundial de xadrez. Foi a primeira vez que a inteligência artificial levou a melhor sobre os humanos, mas não a última.

As histórias que opõem “criadores” e “criações” sucedem-se, e os resultados têm sido favoráveis para as segundas. Depois de vencer no ancestral jogo de tabuleiro chinês Go o campeão incontestado em toda a Europa, Fan Hui, o AlphaGo voltou às demonstrações de força ganhando a Lee Se-dol, que detém o título de melhor jogador mundial há 10 anos.

Foi apenas a primeira partida de um torneio de seis que vão acontecer nos próximos dias 10, 12, 13 e 15 de março, no Hotel Four Seasons, em Seul.

O confronto é considerado um grande desafio para o sistema de inteligência artificial da divisão DeepMind da Google, já que o jogo, embora com regras extremamente simples, oferece uma quantidade absurda de possibilidades de movimento: 10 elevado a 761ª potência, contra 10 elevado a 120ª potência no jogo de xadrez. Para ter uma ideia, cada partida deverá durar entre quatro a cinco horas.

Além do título, em jogo está 1 milhão de dólares que se forem ganhos pelo AlphaGo serão doados a organizações como a UNICEF e a STEM.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.