A Kaspersky fez as contas e diz que um utilizador da Internet ativo pode deparar-se com malware instalado no seu dispositivo Mac OS X pelo menos 10 vezes num só ano.

Isto apesar de as probabilidades de um computador Mac OS X ser infetado serem de 3% aproximadamente. O valor compara com os 21% referidos relativamente ao sistema operativo Windows.

Nos primeiros oito meses de 2014, a Kaspersky Lab diz ter registado perto de 1.000 ataques únicos contra dispositivos Mac, que se agrupam em 25 famílias principais.

Ao todo, existem 1.800 amostras de ficheiros maliciosos Mac OS X nos registos da empresa de segurança informática. O backdoor Callme, que dá aos cibercriminosos acesso remoto ao sistema e, como função adicional, rouba os contactos dos proprietários, é um dos mais destacados. Outro backdoor, o Laoshu, assim como o Ventir, também são mencionados.

"Nos últimos quatro anos, o panorama das ameaças para Mac alterou-se significativamente - de casos isolados para uma epidemia global causada pelo worm Flashback, que infetou 700.000 dispositivos Mac à volta do mundo, em 2011. Este foi um ponto de viragem", refere Eugene Kaspersky, chairman e CEO da Kaspersky Lab numa nota enviada à imprensa. "Depois disso, começámos a ver centenas de programas maliciosos para Mac a surgirem todos os anos".

De acordo com os dados da Kaspersky Lab, os utilizadores dos Estados Unidos e Alemanha sofreram, de longe, a grande maioria dos ataques em 2013-2014, com mais de 66.000 deteções registadas nesses países. Os seguintes cinco países da lista - Reino Unido, Canadá, Espanha, Itália e Austrália - tiveram até 7.700 deteções cada um.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.