Tudo começou quando na semana passada a Microsoft pediu desculpa por acidentalmente ter colocado links quebrados nas versões em desenvolvimento do seu sistema operativo, disponibilizadas aos beta testers ligados ao programa Windows Insider.

As builds incluíam referências a novas variantes do Windows, nomeadamente a Windows Server 2016 e a Windows 10 Pro for Advanced PCs, em dois “flavours”: um “normal” e outro destinado a cumprir os requisitos impostos pela União Europeia.

Tais menções somadas aos leaks que surgiram no Twitter esta segunda-feira, supostamente de folhetos internos destinados à equipa de marketing, marcados como confidenciais, fizeram com que os rumores aumentassem de tom.

As imagens promocionais contêm informação sobre o novo Windows 10 Pro for Workstation PCs, nomeadamente descortinando algumas dos recursos da versão, como a otimização do desempenho quando o modo “Workstation” está ligado ou a transferência rápida de ficheiros entre máquinas.

 

De qualquer forma, nem os links nem os leaks tornam oficial o lançamento da nova versão, que a Microsoft recusou confirmar a meios que a contactaram nesse sentido, como o The Verge ou o The Register.