A missa em honra do portátil Magalhães parodiada pelos Gato Fedorento no seu programa Zé Carlos vai passar sem multa da Entidade Reguladora para a Comunicação Social. A entidade comunicou ontem que o sketch "Louvado sejas ó Magalhães" não pode ser interpretado literalmente e que a crítica nela contida se dirige ao Governo e não à igreja.

A peça humorística gerou um total de 122 queixas junto da ERC, oriundas de telespectadores, segundo um comunicado ontem divulgado pelo regulador da comunicação social.

No mesmo documento o conselho regulador da ERC afirma não lhe competir pronunciar-se sobre o "bom ou mau gosto dos programas", admitindo que neste caso não encontra "a existência de qualquer referência susceptível de extravasar os limites à liberdade de programação, nem tendo sido ultrapassados os limites da liberdade de expressão e de criação artística".

Veja aqui o sketch que gerou a polémica e que parodiava os vídeos que os professores fizeram durante uma formação sobre a utilização do portátil Magalhães.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.