O TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite) foi colocado no espaço em abril, à boleia do Falcon 9 da SpaceX e substituiu o telescópio espacial Kepler na missão de identificar novos exoplanetas. O “caça planetas” começou a transmitir informações e imagens que ajudarão os cientistas a descobrir e estudar novos planetas para além do sistema solar.

O satélite enviou uma imagem detalhada combinando as suas quatro câmaras poderosas, gravando durante 30 minutos no dia 7 de agosto. Batizada de “first light”, a imagem científica capturou muitas estrelas e outros objetos celestes, incluindo sistemas que já se sabia terem exoplanetas.

A NASA explica que o pequeno ponto brilhante na imagem é uma esfera que contem uma coleção de centenas de milhares de estrelas chamada NGC 104 ou 47 Tucanae devido à sua localização a sul da constelação Tucana. A imagem contém ainda duas estrelas salientes, a Beta Gruis e a R Doradus, que são tão brilhantes que acabaram por saturar a segunda e quarta câmara do TESS.

O novo "caça planetas" da NASA vai limitar as pesquisas ao espaço mais próximo
O novo "caça planetas" da NASA vai limitar as pesquisas ao espaço mais próximo
Ver artigo

O satélite irá passar os próximos dois anos a monitorizar 26 sectores do espaço, permanecendo 27 dias em cada um, cobrindo 85% do céu. A NASA prevê que no primeiro ano serão estudados 13 sectores da área sul, completando a segunda metade a norte.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.