A Nova Information Managemente School (NOVA IMS) da Universidade Nova de Lisboa pretende ser a primeira instituição de ensino superior em Portugal a dotar a totalidade das suas salas de aula de ferramentas inteligentes de ensino, visando um sistema misto de aulas presenciais e ensino à distância.

O investimento superou os 300 mil euros para transformar todos os seus espaços de aula em “smart classrooms”, com equipamento estado de arte para a captação de som e imagem, assim como a presença de quadros interativos. Segundo é explicado no comunicado, uma câmara robotizada permite focar e seguir o professor no decorrer da aula, em sistema de auto-tracking. Este tem captação de som e écrans que permitem partilhar intervenções dos docentes, alunos presenciais e à distância.

Os quadros Interativos “Smart MX”, com processamento autónomo de informação e comunicação, permitem selecionar diferentes dispositivos conectados, dar acesso a ficheiros, browser de internet, partilha de imagem, utilização como quadro virtual e interatividade. A universidade investiu ainda em abordagens de “gamification”, além de espaços partilhados entre alunos presenciais e online.

Através destas soluções, a NOVA IMS pretende transformar as abordagens pedagógicas, com aulas crescentemente interativas, espaços de trabalho colaborativo, atividades baseadas em jogos ou avaliações formativas. O investimento estendeu-se ao aumento de capacidade de banda larga para um total de 10 GB, para que todos os equipamentos funcionem em simultâneo, incluindo o streaming das aulas presenciais para os alunos que estejam em ensino remoto.

Segundo Pedro Saraiva, diretor da NOVA IMS, “é um investimento que responde às necessidades atuais, mas que nos prepara também para as novas exigências e dinâmicas da escola do futuro. Enquanto Escola de Data Science da Universidade Nova de Lisboa, na NOVA IMS orgulhamo-nos de ser pioneiros na construção deste novo paradigma de escola”.

No próximo ano letivo, a NOVA IMS pretende oferecer um sistema de aulas misto, alternando semanalmente o grupo de alunos que assistem às aulas em formato presencial e à distância, de forma a garantir o espaçamento necessário nas salas de aula. A instituição é também uma das primeiras em Portugal a obter o selo “COVID OUT”, concedido pelo Instituto de Soldadura e Qualidade, que atesta o cumprimento de toda a regulamentação e legislação vigente, assim como a aplicação das melhores práticas de prevenção e mitigação de riscos COVID-19 e respetivo plano de contingência, no caso de ocorrência de infeção no estabelecimento.

Pedro Saraiva afirma que “estamos prontos para retomar as aulas presenciais a partir de 7 de setembro, com total segurança e dotados da melhor tecnologia, o que nos vai permitir fazer ainda mais e melhor, agora e na era pós-COVID”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.