A NVidia acaba de lançar o Tegra 3, o seu primeiro processador de quatro núcleos (quad-core) para dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Maior autonomia de bateria e níveis de desempenho equiparados aos dos PCs são as principais promessas.

Hoje "inauguramos a era da computação móvel de quatro núcleos, trazendo os níveis de performance da classe dos PCs, maior autonomia de bateria e experiências móveis melhoradas para os tablets e telefones", afirma a fabricante, num comunicado emitido ontem.

Na nota de imprensa, revela ainda que o primeiro tablet a chegar ao mercado com a nova unidade de processamento móvel da marca será o Asus Eee Pad Transformer Prime - uma versão "melhorada" do Eee Pad Transformer, à qual que daremos a devida atenção numa próxima oportunidade.

Inicialmente conhecido pela designação de código "Projeto Kal-El", o dispositivo de processamento móvel deverá proporcionar até um desempenho gráfico até 3 vezes superior ao oferecido pelo seu antecessor Tegra 2.

No que respeita ao consumo da bateria, estima-se que este diminua 61%, o que se traduzirá em equipamentos com autonomia para, por exemplo, 12 horas de reprodução contínua de vídeo HD.

O processador implementa uma nova tecnologia a que a NVidia chamou Variable Symmetric Multiprocessing (vSMP) - ou multiprocessamento simétrico variável. Esta inclui um quinto CPU auxiliar, especificamente concebido para tarefas de menor exigência. Os quatro núcleos de processamento principais são reservados às tarefas de alto desempenho e, regra geral, consomem menos energia que os dual-core, detalha a empresa.

Assim, durante as tarefas que exigem menos poder da máquina (como ouvir música), o processador automaticamente desliga os quatro núcleos principais e recorre à unidade auxiliar, vocacionada para os trabalhos menos exigentes.

Os quatro CPUs ARM Cortex A9 do Tegra 3 chegam acompanhados de uma nova unidade de processamento gráfico (GPU) NVidia GeForce de 12 núcleos, que promete maior realismo para os jogos possibilitando, por exemplo, o recurso a ambientes de alta resolução e o suporte ao 3D estéreo.

Uma das particularidades é o suporte à utilização dos tablets e "super-telefones" equipados com Tegra 3 enquanto consolas, em conjunto com os comandos da PS3, Xbox 360 e Wii - desde que os jogos em causa estejam preparados para tal. A ideia é que um tablet com um Tegra 3 possa ser ligado a um televisor 3D e substituir a consola de entretenimento doméstico.

As novidades abrem as portas ao desenvolvimento da próxima geração de jogos para dispositivos móveis por parte dos programadores, realça a NVidia, que está a disponibilizar um Kit para desenvolvimento de aplicações para equipamentos com os novos processadores.

O vídeo é outro dos conteúdos que deverão sair beneficiados com a evolução. A nova unidade de processamento dá suporte a motores de vídeo para reprodução de conteúdos a 1080p (Full HD) a 40 Mbps.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.