Uma análise às indústrias da música, cinema, televisão e software da União Europeia antecipa que no espaço de cinco anos 1,2 milhões de pessoas fiquem sem emprego e centenas de milhões de euros se percam em consequência da pirataria informática.

Os dados são de um estudo levado a cabo pela francesa Tera Consultants a pedido da Câmara Internacional do Comércio e apresentado ontem.

De acordo com a informação veiculada, as indústrias "criativas" da Europa geravam, em 2008, cerca de 860 mil milhões de euros e davam emprego a 14,4 milhões de pessoas. Durante o mesmo ano terá sido observada uma redução das receitas na ordem dos 10 mil milhões de euros e extintos 186 mil empregos, devido ao impacto do crescimento do download ilegal.

As estimativas dos analistas apontam para um cenário negro em 2015, com cerca de 240 mil milhões de euros de prejuízos para as indústrias e 1,2 milhões de empregos extintos, mas estes alertam para o facto das previsões terem sido feitas com base no padrão de "consumos" verificado à data, que tende a aumentar.

Segundo defendem, a tendência observada é no sentido de um aumento do número de downloads e a disponibilização de maior largura de banda de Internet e maior penetração do serviço são realidades que podem ser constatadas já em 2010 e que só podem ajudar a agravar a situação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.