O valor crescente e a consequente expansão da produção da Bitcoin está a resultar num aumento exponencial da eletricidade utilizada por este sector. Com um método de criação e funcionamento puramente eletrónico, baseado na capacidade de processamento de inúmeros computadores em todo o mundo, o portal Power Compare estima que os processos de geração desta criptomoeda já sejam responsáveis pelo consumo de um volume anual de energia superior ao de 159 países, sendo que, 20 deles, são europeus.

Irlanda, Croácia, Sérvia, Eslováquia e Islândia são apenas cinco nomes de um lote que engloba Estados de todos os continentes. No africano, por exemplo, apenas África do Sul, Egito e Argélia não ficam abaixo dos valores deste sector.

De acordo com a empresa responsável pelo estudo, o consumo anual de eletricidade da Bitcoin já supera os 29 TWh, o que equivale a 0,13% das necessidades energéticas de todo o planeta Terra. O valor, contudo, observa uma tendência crescente altamente inclinada, com 30% de aumento na produção a registar-se apenas nos últimos 30 dias. Se o crescimento for consistente até outubro do próximo ano, o consumo vai ultrapassar os registos de países como Portugal e o Reino Unido.

Mais importa dizer que, segundo a Power Compare, este consumo equivale a uma fatura anual de 1,5 mil milhões de dólares.

Siga este link para consultar o estudo na íntegra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.