No âmbito do projeto serão montados 30 novos radares fixos e 50 cabines para os instalar, que vão ser distribuídas por 25 estradas a nível nacional, desde autoestradas a itinerários complementares. O sistema será rotativo e a cada seis meses 15 dos 30 radares podem mudar de sítio, pelo que será impossível para os condutores perceber quais as cabines com radares ativos.

O novo sistema, que está previsto desde 2010, garantiu a aprovação do Tribunal de Contas no final do mês de março, adianta esta sexta-feira o jornal Público, e o contrato para implementação dos novos radares entra em vigor já no fim deste mês. Espera-se que em setembro a maior parte já esteja a funcionar, mas a data limite para que o projeto esteja no terreno é o final de janeiro do próximo ano.

O sistema será gerido pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, que já monitoriza outros 18 radares, e será implementado por um consórcio, o Sincro que foi escolhido para implementar o projeto de 3,2 milhões de euros.

A rede vai complementar os radares da PSP e da GNR e algumas estruturas de pórticos que são geridas pelas autarquias de Lisboa e do Porto e que, também segundo a notícia do Público, têm sobretudo uma função dissuasora, uma vez que estão desativados. 

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.