A RealNetworks revelou ontem, dia 29, o código fonte da versão cliente do Helix DNA e anunciou um preçario bastante atractivo destinado às empresas que pretendam licenciar o código para fins comerciais.


O código do Helix DNA, que consiste no motor do seu software reprodutor de áudio e vídeo RealOne Player, está disponível através de duas licenças. Uma é semelhante a acordos open-source como a General Public License (GPL), ao passo que a outra permite que os programadores criem software de closed source - código fechado - por um valor máximo de royalties de 25 cêntimos de dólar por cada unidade comercializada.

Será fornecido o código fonte necessário para suportar os protocolos de streaming RTSP, RTP, RTCP e DSP, assim como para reproduzir os codecs dos formatos MP3, H.263, NB-AMR e 3GPP para PCs e dispositivos electrónicos móveis e destinados aos consumidores. O Helix DNA client inclui ainda versões para os sistemas operativos Windows, Linux e Mac OS X.


Para além deste componente, a plataforma Helix é também constituída por um servidor e um software codificador, que serão lançados no final do ano. No total, serão distribuídos mais de 600 APIs (Application Programming Interface).


Contudo, o Helix DNA client não revela todos os segredos da RealNetworks. O suporte para os seus codecs proprietários RealAudio e RealVideo estará apenas disponível em código de objecto, em vez de código fonte. Do mesmo modo, ambas as licenças foram especialmente redigidas para assegurar que as patentes da empresa permanecem protegidas.


A RealNetworks Public Source License (RPSL), semelhante à GPL, refere seis patentes da RealNetworks que estão abrangidas pelo acordo, sendo que todas parecem referir-se a sistemas para processar de uma forma eficiente a transmissão e reprodução de conteúdos de streaming num dispositivo-cliente. Este documento refere ainda que parte do software derivado do código "poderá exigir licenças adicionais de patentes". Por outro lado, se a empresa detentora da licença instaurar um processo de violação de patente contra a RealNetwork, o acordo será encerrado.


Apesar destas condições, a RPSL estabelece que qualquer software desenvolvido a partir do código fonte aberto seja distribuído à comunidade open source. Para quem pretender lançar aplicações comerciais, existe a Community Source Licence (RCSL). Da mesma forma, ambas as licenças obrigam a que todos os programas-cliente produzidos com o código do Helix DNA sejam compatíveis entre si.


A RCSL permite a distribuição comercial gratuita até um milhão de unidades, estabelecendo uma taxa de royalties de 10 cêntimos de dólar por cada unidade para além desse limite, sem suporte dos codecs da RealNetworks.


O custo dos royalties passa a ser de 25 cêntimos por unidade, caso esta suporte os codecs ou um milhão de dólares por ano. Até agora, a versão cliente do Helix DNA já foi licenciada pela Acer, Hitachi, NEC, Nokia, Philips, STMicroelectronics e Texas Instruments.


A companhia lançou um site para a comunidadade de programadores do Helix DNA no endereço www.helixcommunity.org. O principal objectivo do projecto Helix, cujo início ocorreu no dia 22 de Julho deste ano, é fazer crescer as receitas de licenciamento da RealNetworks, que estagnaram nos últimos dois anos.


Notícias Relacionadas:
2002-07-23 - RealNetworks introduz Helix em modelo semelhante a open source
2001-12-12 - RealNetworks suporta novo standard MPEG-4
2001-09-24 - RealNetworks apresenta RealOne

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.