Quando se pensa em dispositivos como os Google Glass ou como os Samsung Galaxy Gear, os conceitos entusiasmam por levarem a tecnologia e as comunicações a um novo nível de portabilidade e interação. Mas existem pontos onde estes dispositivos são agora muito fracos. Imagine, por exemplo, responder a uma mensagem.

Enquanto na perspetiva das tecnológicas o futuro vai-se fazer de forma oral, isto é, ditando comandos para todos os gadgets que sozinhos serão capazes de assimilar e transcrever tudo o que é dito, a Samsung acredita que escrever mesmo os conteúdos vai continuar a ser uma necessidade. Mais não seja por uma questão de privacidade.

A pensar nisso, a gigante sul-coreana apresentou um pedido de patente onde mostra como vai ser o teclado do futuro para dispositivos wearable: as próprias mãos dos utilizadores.

Através da separação natural que existe nos dedos humanos - metacarpos e falanges por exemplo - cada conjunto corresponderia a uma letra ou grupo de letras. E como através do dedo polegar a maioria das pessoas consegue tocar nas restantes posições dos dedos das mãos, estariam reunidas as condições para um teclado de realidade aumentada.

Com a ajuda das câmaras dos equipamentos, seria depois possível reconhecer quais as teclas que foram premidas pelos utilizadores. De acordo com o pedido, e segundo escreve o Slashgear, o teclado de realidade aumentada poderia assumir várias configurações, isto é, ser usado em duas mãos ou apenas numa.

Mais do que nos relógios e braceletes inteligentes, este tipo de tecnologia tem mais sentido quando usado em óculos inteligentes. De acordo com alguns rumores a Samsung vai fazer concorrência aos Google Glass, que pode chegar já em setembro deste ano.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.