Várias empresas de segurança informática têm listado o cavalo de troia Dyre como um software malicioso de alto risco e a S21sec é a mais recente entidade a juntar-se ao coro de “alertas”. De acordo com a tecnológica, cinco bancos espanhóis já estão na lista de vítimas do trojan.

Numa informação partilhada com a imprensa é ainda revelado que até ao momento não foi registada nenhuma atividade do software malicioso relativamente às entidades bancárias portuguesas.

“Trata-se de uma ameaça que pode afetar algumas entidades bancárias espanholas de renome. O Dyre atua através de campanhas de spam que contêm código malicioso, e recorre a credenciais financeiras para aceder às contas”, salientou em comunicado o responsável da S21sec, David Ávila.

O Dyre, também conhecido como Dyreza, é atualmente um dos trojans bancários mais ativos. Além de ter acrescentado os bancos espanhóis à sua lista de vítimas, o cavalo de troia também passou para outros países hispânicos como o Chile, Venezuela e Colômbia.

Antes o trojan Dyre atuou sobretudo nos mercados anglosaxónicos, tendo feito vítimas junto de clientes do Barclays, Royal Bank of Scotland, HSBC, Lloyds Bank e Santander.

Além da S21sec também as empresas de segurança informática FireEye e Symantec já vieram a público alertar para os perigos deste software malicioso que se propaga por mensagens de correio eletrónico.

Depois de instalado no computador da vítima, o trojan fica à espera que o utilizador visite determinadas páginas - as de entidades bancárias - para fazer o roubo das credenciais de acesso.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.