A portuguesa Critical Software é uma das empresas a integrar o consórcio internacional responsável pelo projeto pSHIELD, dedicado à criação de uma arquitetura confiável multicamada para sistemas embebidos.

O trabalho da equipa nacional estará focado na "análise e especificação de requisitos e no desenvolvimento de um sistema que permita, através da criptografia, fornecer segurança para a arquitetura proposta", detalhou Rui Cordeiro, diretor da Unidade de Negócio da Critical Software.

O objetivo do projeto pSHIELD - cuja validação passará pela monitorização de comboios de carga que transportam mercadorias perigosas - é definir uma estrutura que permita melhorar o nível de segurança dos sistemas embebidos, enquanto se reduzem os custos de conceção e desenvolvimento", avança a tecnológica num comunicado à imprensa.

A investigação contribuirá também para "reduzir drasticamente" os ciclos de desenvolvimento, "dado que os processos de qualificação, (re)certificação e (re)validação serão mais rápidos, fáceis e amplamente aceites", acrescentam os responsáveis.

Os sistemas embebidos, que se caracterizam por serem dedicados a funções específicas, em sistemas fechados e de difícil acesso, veem este acesso físico exclusivo e seguro cada vez menos garantido, defendem os especialistas.

O projeto aborda os desafios colocados pelo panorama tecnológico atual, apostando na construção de "uma estrutura que incorpora as preocupações com segurança, privacidade e confiabilidade no contexto de Sistemas Embebidos de uma forma "built in" (integrada) em vez de "add-on" (complementar)".

Esta estrutura é baseada na conceção e desenvolvimento de interfaces abertas e confiáveis que permitem uma composição, tanto estática como dinâmica, de tecnologias como a criptografia, encaminhamento seguro, regras semânticas e autenticação.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.