O tribunal norte-americano responsável pelo julgamento do caso que opõe a 321 Studios e a Motion Picture Association of America decidiu a favor da indústria cinematográfica obrigando a empresa produtora de software de cópia de DVDs a retirar o seu produto do mercado no espaço de uma semana.



A decisão agradou à indústria que considera o programa uma ferramenta de facilitação de cópias piratas, mas vai merecer o recurso imediato por parte da 321 Studios que alega ser um direito legitimo dos utilizadores fazerem cópias dos seus DVDs, salvaguardando situações de perda ou danos no produto original.



A decisão do tribunal baseou-se no Digital Millennium Copyright Act que proíbe a distribuição de software ou equipamentos que ameacem as garantias concedidas pelos direitos de autor.



A decisão judicial não surpreendeu Robert Moore, co-fundador da 321 Studios que se diz "preparado, embora desiludido", escreve a BBC News. Já a Motion Picture Association of America mantém-se firme na acusação e considera que a decisão do tribunal é um aviso às empresas que desenvolvem este tipo de software para pararem de vender os seus produtos.



Segundo esta associação, a indústria cinematográfica perde anualmente 3 mil milhões de dólares com a cópia e revenda de cassetes vídeo, um problema que poderá agora estender-se ao mercado de DVDs em proporção idêntica, caso as empresas de software como a 321 Studios sejam autorizadas a estar no mercado, considera a associação.



Notícias Relacionadas:

2003-05-16 - Produtoras de Hollywood processam fabricantes de software de cópia de DVDs

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.