A Associação do Comércio Audiovisual de Obras Culturais e de Entretenimento (ACAPOR) continua a trabalhar para diminuir os índices de pirataria em Portugal. Nas próximas semanas mais sites vão receber uma notificação da entidade para que procedam ao fecho da página e cessem as atividades ilegais.

O presidente da ACAPOR, Nuno Pereira, escusou-se a revelar os nomes dos sites que vão ser alertados para "não espantar as lebres" mas prometeu novidades relativamente a um grande site de partilha de ficheiros ilegais que nas próximas semanas vai conhecer a sua "resolução", revelou ao TeK.

A associação alega que desde o fecho do Ne & Miguelito, do Oxe 7, PortugalSeries e do PDCLinks outras páginas nacionais dedicadas à pirataria têm fechado perante o aviso da ACAPOR, mas foram todos sites "menores".

Em conversa com o TeK, Nuno Pereira revelou que o fecho dos sites tem que passar sempre pela identificação dos seus administradores e gestores, já que a simples notificação das empresas que gerem os servidores em nada resulta. "No espaço de duas horas e às vezes sem as pessoas repararem, as páginas já mudaram de servidores".

Esta movimentação de data centers é uma das técnicas usada pelos gestores do BTNext. Conhecido como sendo um dos maiores sites de partilhas ilegais em Portugal, Nuno Pereira avançou que o anonimato dos responsáveis pelo serviço de torrents "não vai durar para sempre".

Face à atividade das autoridades, a ACAPOR "tem feito mais do que a obrigação". As forças legais facilmente conseguiriam alcançar o fecho e a identificação de pessoas ligadas a sites de partilha de ficheiros "caso assim o pretendessem", acrescentou Nuno Pereira.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.