O Reino Unido determinou esta semana que todos os seus 65,6 milhões de habitantes devem ter direito a uma ligação rápida e consistente à internet. A decisão foi anunciada pelo Departamento de Assuntos Digitais, Cultura, Media e Desporto do governo britânico que, até 2020, quer que as operadoras assegurem uma cobertura plena do seu território, tal como acontece com a água e a eletricidade.

"Sabemos o quão importante é a banda larga para as casas e para os negócios e, por isso, queremos que todos beneficiem de uma ligação rápida e consistente à internet", disse, em comunicado, a secretária de Estado Karen Bradley.

Em suma, o Reino Unido vai com isto exigir às empresas de telecomunicações que operam no país, que disponibilizem velocidades de, pelo menos, 10 Mbps aos seus clientes. A velocidade é considerada a fasquia mínima, para satisfazer as exigências de uma família comum.

O desafio, no entanto, é fazer com que "a banda larga de alta velocidade seja uma realidade para todos os habitantes do Reino Unido, independentemente de onde eles viverem ou trabalharem", concluiu Karen Bradley.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.