São pouco mais de dois por cento os sites de jogo online que cumprem os chamados padrões de segurança e responsabilidade social. As conclusões são do recém-formado Observatório Transnacional de Jogo Remoto , que apela à necessidade urgente de actualizar o quadro jurídico nesta área.

"A ausência de um quadro jurídico actualizado não serve os interesses do Estado, dos operadores e muito menos dos consumidores", acusa Luís Rebordão, responsável pelo observatório, citado pelo jornal Público.

Recorde-se que o Observatório Transnacional de Jogo Remoto nasceu há cerca de seis meses atrás tendo por objectivo informar os consumidores portugueses relativamente aos jogos electrónicos de apostas.

"É incontornável o facto de a legislação portuguesa continuar a permitir que milhares de portugueses joguem em muitas centenas de sítios na Internet sem protecção", acrescenta Luís Rebordão, depois de analisados 2.200 sites de jogos de apostas.

Segundo dados do observatório, existem 69 jurisdições que licenciam 776 casinos online; 544 salas de poker online; 441 sítios de apostas desportivas online; 348 sítios de bingo online; 80 sítios de lotarias online; e 13 sítios de gamão online.

As estimativas apontam para que existam cerca de 200 sites de jogo na Internet direccionados especificamente para Portugal. Ao mesmo tempo, perto de 100.000 portugueses terão problemas de jogo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.