A operação, que também decorre noutros países da União Europeia, tem como objetivo pôr fim a uma prática que envolve apostas relacionadas com eventos desportivos em sites ilegais.

Tudo funciona mediante a disponibilização de um login aos jogadores para acederem à plataforma onde vão poder apostar usando o seu computador, tablet ou smartphone. Em troca pagam entre 10 a 30 euros, escreve o Diário de Notícias.

Se ganhar algum prémio o apostador vai receber o dinheiro do administrador da plataforma que foi o responsável pela criação da conta. Todo o sistema tem como base um servidor normalmente instalado fora de Portugal ao qual os computadores ficam autorizados a ligar-se, refere o jormal.

São os espaços, privados e públicos que permitem fazer estas apostas online em sites ilegais que estão visados numa operação que a Guarda Nacional colocou em curso esta terça-feira e que terá envolvido mais de 100 mandatos.

De acordo com a Unidade de Ação Fiscal da GNR, encarregue da operação, os apostadores nestes sites online são normalmente jovens e os equipamentos podem chegar a render 2.000 euros por dia, cita o jornal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.