No papel, a ideia avançada pela Huawei, suportada pelo governo chinês e as operadoras de telecomunicações do país, é mudar o protocolo de acesso à grande rede, ou por outras palavras, o reinventar da internet, como destaca o The Financial Times. A proposta avançada à International Telecommunication Union (ITC), entidade que regula as tecnologias de informação e comunicações mundiais, é introduzir um novo protocolo de internet, um novo IP, que na teoria é mais flexível a gerir e corrigir problemas das redes, do que o atual standard TCP/IP.

No entanto, os especialistas referem que o novo sistema facilita aos países, como a China, cujos regimes autoritários e forte censura à liberdade de expressão, exerçam ainda mais pressão e controlo aos seus cidadãos. Em causa está uma funcionalidade semelhante a um botão de emergência, capaz de cortar parte da rede e da circulação de dados de e para um endereço.

Trata-se de um bom esforço para travar websites maliciosos, combate ao terrorismo e outros crimes da sociedade online, mas ao mesmo tempo, pode ser uma ferramenta para um governo simplesmente “silenciar” um ativista sem grande esforço.

O sistema está também a suscitar questões de privacidade na navegação, visto que a autenticação do novo IP requer autorização não só dos respetivos novos endereços de internet, mas das pessoas envolvidas e os pacotes de dados enviados. Há anos que a China obriga os seus utilizadores de serviços online a registarem-se com o seu nome real, por exemplo.

A Huawei espera ter o novo sistema de IP disponível para testes no início de 2021. Um porta-voz da empresa afirma que a tecnologia está a ser desenhada para resolver questões técnicas relacionadas com o novo paradigma digital que se avizinha, tais como a condução autónoma, IoT e outras tecnologias ligadas em rede. Refere ainda que a tecnologia é aberta a todos os cientistas e engenheiros mundiais.

Depois de testada, e antes que a ITU dê luz verde para uma eventual mudança de protocolo, terá de haver países suficientes a adotar a tecnologia para que esta se torne viável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.