O Grupo de Proteção de Dados da União Europeia decidiu continuar as investigações à Google por causa da política de privacidade unificada implementada pela tecnológica há exatamente um ano.

Liderados pela Comissão Nacional de Informática e Liberdades francesa (CNIL), e que conta com o apoio da homónima portuguesa - a CNPD -, os reguladores europeus dizem estar preparados para avançar com uma ação repressiva contra a Google.

A empresa de Mountain View vai ser convidada a comparecer numa sessão de esclarecimentos que pode determinar se o grupo regulador avança ou não com um processo judicial. A acontecer, o encontro entre as duas partes deve dar-se nas próximas semanas.

O Grupo de Trabalho do Artigo 29º considera que até à data a Google ainda não tomou medidas concretas em resposta às recomendações feitas pelos reguladores em outubro de 2012, pelo que "os requisitos da Diretiva 95/46/EC" continuam por cumprir, pode ler-se no site oficial da CNIL.

Da reunião realizada no dia 26 de fevereiro, tal como o TeK tinha adiantado, os grupos de proteção de dados de todos os países europeus referiram que vão tomar as medidas necessárias que estejam de acordo "com todos os poderes e competências" que têm instituídos. Antes do verão vão ser feitos "progressos significativos" relativamente a esta questão, promete a CNIL.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.