O ministério de defesa belga pretende processar a Google. Em causa está um pedido feito à tecnológica para retirar ou esconder as imagens sensíveis de instalações e pontos estratégicos militares da Bélgica presentes nos serviços de mapeamento da Google.

Segundo avança o Euronews, o ministério pediu que fossem riscados locais como as bases aéreas ou as estações de energia nuclear. O governo tem receio que, ao aparecerem no mapa, os locais estratégicos sejam facilmente alvo de planeamento de ataques terroristas. Por exemplo, a base aérea Kleine Brogel (na imagem), que pode ser vista facilmente no Google Maps, estava entre os alvos de ataques do jihadista Nizar Trabelsi, associado ao Al-Qaeda.

tek google maps

Na ausência de uma resposta da empresa, o governo parte para uma ação judicial. Não é a primeira vez que a Google é confrontada com pedidos semelhantes, tendo alterado os sistemas de mapeamento ou mesmo locais visíveis no Street view que pudessem comprometer a segurança dos locais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.