As redes sociais Facebook, Instagram, Tinder e Hipchat - esta última menos conhecida em Portugal - enfrentaram todas problemas que as deixaram offline durante largos minutos. No caso das plataformas lideradas por Mark Zuckerberg, o "apagão" foi de uma hora. Mas desta vez a falha pode estar relacionada com atividade maliciosa e não com simples falhas informáticas.

De acordo com a imprensa internacional, como o The Verge, o grupo de cibercriminosos Lizard Squad pode estar por trás dos apagões temporários. Isto porque a conta oficial do grupo no Twitter deixou uma mensagem onde são referidas as redes sociais seguidas das hashtags #offline e #LizardSquad, o que parece indicar responsabilidade do grupo no sucedido.

O Facebook já reagiu dizendo que o "apagão" foi causado pelos seus próprios engenheiros após a introdução de novas configurações na rede social, descartando o cenário de um ataque efetuado por "terceiros", como esclarece à BBC.

Já do lado dos cibercriminosos não existe nenhuma indicação de que técnicas terão sido usadas para tirar da grande rede alguns dos serviços online mais utilizados. Os responsáveis do Tinder, em jeito de brincadeira ou recorrendo apenas à ironia, ainda deixaram no ar a possibilidade de a Coreia do Norte também ter responsabilidades nos problemas técnicos.

Recorda-se que os Lizard Squad são neste momento o grupo de piratas informáticos com maior atenção mediática, isto depois de terem reclamado os ataques que deixaram a PlayStation Network e o Xbox Live offline durante o Natal, além de terem também invadido a página online da transportadora aérea Malaysia Airlines. O grupo vende ainda serviços de ataques DDoS, sabendo-se que existem clientes portugueses que recorrem ao negócio dos crackers.

Nota de redação: Notícia atualizada com a reação do Facebook


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.