Quando a existência do site foi notícia em Portugal estavam online 254 câmaras, instaladas em casas e lojas um pouco por todo o país. Acontecia o mesmo em diversos outros países, com as autoridades a depararem-se com a dificuldade de agir pelo facto de o site ser proveniente de um país estrangeiro, neste caso, a Rússia.



Nas horas e dias que se seguiram à divulgação do site, no entanto, as imagens começaram a desaparecer do Insecam. O programador que criou o site explicava que não foi preciso qualquer ataque para expor a informação publicada e garantia que apenas concentrou numa mesma morada dados que estão disponíveis a qualquer utilizador, usando os recursos certos. No site listava mesmo um conjunto de links recolhidos a partir de uma pesquisa no Google a partir dos quais era possível fazer o mesmo.



A facilidade em aceder à informação devia-se ao facto de pertencerem a sistemas de videovigilância não protegidos por password, ou protegidos apenas com as passwords originais.



Agora sem imagens para mostrar, o programador decidiu usar o site para procurar emprego. A mensagem é visível assim que se abre o site e é ilustrada com um conjunto de competências que o hacker alegadamente tem para oferecer a quem decidir dar-lhe uma oportunidade. Linux, FreeBSD, C/C++, Python e MySQL são os dotes referenciados.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.