A IDC apurou que em Portugal Continental, 36 por cento dos lares têm acesso à Internet através de ligação de banda larga, enquanto que o número de computadores pessoais está presente em 45 por cento das habitações pertencentes às 998 famílias inquiridas pela consultora.


Os dados do estudo “Utilização da Internet e da Banda Larga em Portugal: Sondagem e previsões 2005-2010” revelam que mais de três quatros dos acessos à Internet são feitos através de ligações de banda larga, enquanto que os acessos em banda estreita reduziram significativamente a sua presença nos lares nacionais, face ao ano de 2003, quando eram a maioria.



A IDC afirma que 72 por cento das casas do concelho de Lisboa têm ligação à Internet, 81 por cento das quais através de banda larga, contra uma média de 36% e 78% respectivamente em Portugal Continental.


Na Grande Lisboa, 67 por cento das famílias possuem computador em casa, 56 por cento dos quais, com ligação à Internet. No Grande Porto a percentagem de residências com PC fixa-se nos 53 por cento, com 40 por cento a possuírem ligação à rede.




Por sua vez, o Baixo Alentejo é a região do continente onde existem menos casas com computadores - 7 por cento - e menos acessos à rede - 5 pode cento.


A presença destas tecnologias juntos dos lares portugueses tem vindo a aumentar, embora ainda se afaste da média registada nos restantes países da Europa, refere o relatório.


Os dados publicados pela IDC revelam que 58 por cento dos lares de Lisboa e Vale do Tejo têm computador, assim como 43 por cento das habitações do norte e 35 por cento das do centro e um quinto das residências do sul, publicou hoje a Lusa.


O acesso à Internet a partir de casa é uma realidade presente na vida de 50 por cento das famílias de Lisboa e Vale do Tejo, 33 por cento do norte, 28 por cento do centro e 14 por cento do sul.



Em 2005 existiam 1,3 milhões de ligações à Internet a partir de casa, um número que, de acordo com a IDC, deverá chegar aos 2,165 milhões em 2010, o que corresponde a um crescimento anual de 11 por cento.



A IDC prevê que as ligações ADSL deverão aumentar 20 por cento ao ano nos próximos 4 anos, enquanto os acesso por cabo deverão registar um crescimento anual de 9 por cento. As ligações móveis - que incluem Internet móvel de particulares - deverão crescer exponencialmente no que diz respeito serviços de acesso com base na terceira geração de comunicações móveis.


O número de total de utilizadores de Internet em Portugal, no ano passado, era de 4,9 milhões e pessoas, estima a IDC, revelando que, se os valores de crescimento na ordem dos 10 por cento se confirmarem, em 2010 existirão cerca de 8 milhões de indivíduos a utilizar a Internet, em casa e no trabalho.



A maioria dos internautas nacionais acede à rede para comunicar com outros utilizadores, 88 por cento dos quais através de mensagens electrónicas e 70 por aplicações de Instant Messaging. A IDC refere ainda que a consulta de páginas online é comum junto de 80 por cento dos utilizadores e os downloads de música gratuitos e pagos cativam 33 e 26 por cento dos internautas, respectivamente. Nos downloads de vídeo gratuitos a percentagem é de 22 por cento e nos pagos é de 14 por cento.


Os últimos números publicados pela ANACOM, referentes ao segundo trimestre deste ano, revelam que no segmento residencial a banda larga chega a 1,079 milhões de utilizadores, o que corresponde a um crescimento de quatro por cento face ao período anterior.



No segmento não residencial, a entidade reguladora afirma que, no final de Junho, existiam 270 mil clientes de "net rápida", mais 6,3 por cento que no primeiro trimestre do ano.

Notícias Relacionadas:

2006-08-29 - Banda larga angaria 58 mil novos utilizadores entre Abril e Junho

2005-08-01 - Ligar Portugal quer triplicar o número de famílias com acesso à banda larga

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.