O tráfego gasto com a partilha de ficheiros em regime peer-to-peer baixou dos 40 por cento registado em 2007, para os 18 por cento. Por sua vez, o tráfego direccionado para o streaming aumentou 10 por cento, situando-se actualmente nos 50 por cento.

Os dados constam de um estudo feito pela Arbor Networks, uma empresa de administração de redes, em parceria com a Universidade de Michigan e a Merit Network, citado pelo jornal Público, que pretendeu mostrar a evolução do tráfego Internet.

O estudo revela a "migração" do download de ficheiros para a consulta de conteúdos online, com a utilização de sites como o YouTube, o Vimeo, o Netflix ou o Hulu a aumentar acentuadamente.

"Globalmente, o P2P está a decair e a decair rapidamente", afirma Craig Labovitz, um dos responsáveis pelo relatório que será apresentado oficialmente na conferência NANOG47, a 19 de Outubro.

Baseados na análise de um total de 264 exabytes, a partir de 110 fornecedores de acesso diferente,s durante os últimos dois anos, os dados reunidos indicam ainda uma evolução no "núcleo da Internet", com o grosso do tráfego online a migrar das grandes operadoras internacionais, como a AT&T para os fornecedores de conteúdos como o Google, que é responsável por seis por cento do tráfego actual.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.