A separação digital que existe entre os países pobres e ricos continua a crescer apesar dos esforços desenvolvidos para que todas as nações entrem na economia global via computadores, alertou Kofi Annan, secretário geral das Nações Unidas, citado pela agência Reuters.

Apesar dos esforços e das iniciativas, continuamos longe de assegurar que os benefícios da informação e das tecnologias de comunicação estejam disponíveis para todos, acrescentou o mesmo responsável na assembleia geral das Nações Unidas sobre tecnologia e desenvolvimento.

Annan pediu que a indústria trabalhe de perto com o governo, com grupos cívicos e com as Nações Unidas para descobrirem a melhor forma de integrar as nações em desenvolvimento na globalização e pediu também que esta esteja preparada para empenhar recursos no problema a longo prazo.

Segundo Yoshio Utsumi, secretário geral na International Telecommunications Union, alguns países já progrediram bastante enquanto que outros perderam-se no caminho. Se não se tomarem medidas, a distância entre aqueles que têm acesso e os que não têm será cada vez maior.

A informação tornou-se a chave de uma vantagem competitiva para os negócios e para os estados modernos. Qualquer pessoa pode trabalhar e fornecer um produto ao mercado global mesmo de um canto mais remoto do mundo se os meios de comunicação estiverem disponíveis e forem baratos, refere Utsumi acrescentando que a falta de informação é uma realidade para a maior parte do mundo já que "mais de oitenta países têm menos que dez linhas telefónicas por cada cem habitantes e em três de cada cinco países só uma pessoa em cem utiliza a Internet.

Notícias Relacionadas:

2002-02-05 - Nações Unidas colocam Global Digital Opportunity Initiative no terreno

2001-11-23 - Nações Unidas apostam nas novas tecnologias para combater pobreza

2001-07-17 - Internet pode melhorar os padrões de vida dos países pobres

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.