Nicholas Negroponte está a coordenar um projecto piloto na área da educação que pretende contribuir para diminuir o fosso digital nos países com menos recursos económicos e familiarizar as crianças em idade escolar com a tecnologia, através da utilização de lap tops.



O objectivo do fundador do Media Lab do MIT é fazer desta iniciativa - realizada numa zona rural do Cambodja - um "tubo de ensaio" para um projecto mais vasto que já recolhe apoios da indústria e que apresentou no World Economic Forum, na Suíça.



Ali as crianças estão a utilizar lap tops com ligação à Internet e funcionalidades multimédia na escola e em casa, tirando partido de uma forma diferente de aprender e envolvendo as famílias nessa experiência. O guru está agora a trabalhar no sentido de estender a iniciativa a outras zonas do globo e, de acordo com uma notícia publicada pela Wired News, estão já definidos um conjunto de parâmetros básicos para a oferta de equipamentos e iniciados contactos com a indústria e com alguns governos.



Negroponte pretende que os equipamentos lap top sejam distribuídos a 100 dólares, um preço conseguido pelo volume significativo de encomendas que se espera conseguir e que não deverá ser inferior a um milhão de unidades de cada vez.



Os requisitos obrigatórios dos equipamentos, além do preço, passam pela simplicidade de utilização, uma autonomia razoável e facilidade na recarga, software Linux, porta USB (que permita ligação de outros dispositivos) e ligação WI-FI. Foram já desenvolvidos dois protótipos de equipamentos que reúnem estas condições.



Por outro lado, existem já conversas com os governos brasileiro e chinês, que deverão ser os primeiros a aderir à iniciativa One Lap Top per Child, para discutir volumes de encomendas e a possibilidade de fabricar os equipamentos a nível local, por forma a gerar empregos nos países envolvidos.



Os primeiros equipamentos deverão começar a ser vendidos em meados do próximo ano e o preço final irá depender da forma de distribuição escolhida por cada governo. Para já, prevê-se que os custos com o hardware representem 90 dólares, sobrando 10 dólares que podem ser usada pelos governos como uma pequena margem para promoção da iniciativa ou outro efeito, adianta a mesma publicação.



Para já, o projecto liderado pelo guru conta com o apoio de três fabricantes que se responsabilizam pela produção de dois milhões de lap tops ao preço de 100 dólares: a Sunnyvale, a AMD e a Rupert, uma empresa de comunicações via satélite.



O objectivo final do projecto é tornar os lap tops tão comuns junto das crianças, sobretudo as que vivem em países onde o fosso digital é mais acentuado, como os telemóveis o são em quase todo o mundo. Existem já algumas vozes menos optimistas relativamente à viabilidade do projecto, pelos custos de electricidade e outros associados ao projecto que vão além dos equipamentos. Negroponte diz, no entanto, que estes custos estão a ser contabilizados e que não serão impedimento para a concretização da iniciativa que vem recolhendo apoios a vários níveis.



Notícias Relacionadas:

2005-02-18 - Projecto Escolas Navegadoras equipa três escolas com tablet PCs e smart boards

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.